Translate

sábado, 31 de janeiro de 2015


No banquete do Gusanos seremos o prato principal.
Não haverá talheres de prata, guardanapos ou taça de cristal.
Viemos do pó e ao pó voltaremos novamente,
Antes seremos carniça a repulsa dos viventes.

A morte é uma cela de onde não podemos escapar.
Todos os micros organismo irão nos devorar,
Cada um escolherá um pedaço da anatomia que lhe apraz,
De cima, do lado, de baixo ou atrás.
Mas com certeza a língua será sobre mesa,
Da carniça foi o membro que pecou mais.

Para debaixo da terra também vai,
todo poder, glórias, riquezas e a cruel tirania,
O orgulho, a vaidade e a mundana sabedoria.
Quem é abraçado pela morte da cova não sai.
- Só se Jesus  vier lhe buscar um dia.

Toda miséria, doença e toda fome,
Toda mulher e todo homem,
Toda vida que há neste mundo.
Podem viver por anos, mas morrem num segundo.

Por tudo que lutou, venceu ou conquistou,
Roubou ou massacrou, foi em vão, 
na morte não se leva nada...não.

O que é do mundo, na morte teus pertences daqui não sai,
Por isso não existe gaveta em caixão,
Na morte, não se faz a mudança em caminhão.
Contra a morte nos temos está liça,
Quando morremos; Não podemos nem levar a própria carniça.

                                           Chico Gouveia



sexta-feira, 30 de janeiro de 2015


É com um S, dois SS, Ç ou com X ou CH.

Prufessora: Eu tumém quero fazer o Enem.
Mas não quero mi bombardear.
Por isso dia e noite não paro de estudar.
Tô com as respostas tudinha na ponta da língua,
Não tenho medo de errá.

Mas tem uma coisa qui pode mi reprová.
É uma tal de redação,
Que as palavras num podi errá.

Por isso venho pedí a sua ajuda,
Por favor mi acúda,
Não quero mi reprova.

Preste atenção:
Xarope aquele de bebê, é com x ou ch,
Mousse aquela gosma mole,
É com s, dois ss ou ç,
Tô todo atrapalhado com o chapéu,
não seu se é com x ou ch,

Socorro minha filha, com essa pilha de palavras que parecem palavrão,
Chacina, chafariz, charlatão,
charrua, cíclico e cicuta.

Me escuta!
É com x, ch ou um s, dois ss ou ç.
Sinopse, sineta, chimarrão.
Essa então é de lascar;
Sintaxe, para escrever nem sei por onde começar.
Moça, movediça, mordaça.
O que você acha: devo continuar?

Tô perdidinho nesta tal de redação,
Me diga Prufessora e eçe corassão, 
Se não tiver dono; me faça uma doação.
Já,Já!

                            Chico Gouveia

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015


Em uma história dessa quem já ouviu falar.
Eu vim lá de Cabreúva, montado numa jumenta,
que não parava de reclamar: 
Ela: Porque tu não monta nas costas de tua mãe,
para ver se ela consegue te aguentar.
Pelo amor de Deus, pare um puco para descansar,
Ou vai querer fazer a viagem toda sem parar.

Tu, está gordo igual a uma baleia,
e não para de mastigar.
Eu não sou feita de aço,
Já me sinto um bagaço, nem aguento mais andar.
Se fosse a sua mãe eu queria ver se você não iria parar.

E parei...
Fiz uma parada de descanso em Várzea Paulista,
A jumenta se aproveitou e sumiu de vista.
Não consegui mais encontrá-la.
O jeito foi seguir viagem carregando uma pesada mala.
Ela tinha razão em reclamar, como doeu as costas.
Caminhei mais de trinta horas, do jeito que ninguém gosta.
Enfim cheguei em Mogi das Cruzes quase para desmaiar.
Encontrei a jumenta em casa.
Lá no pasto... e parecia gargalhar.

                                                           Chico Gouveia



                                                               



                                                                                   

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015



O vaga-lume tem pisca-pisca no rabo.
De rir eu me acabo de vê-lo piscar.
O meu amor que não é boa-bisca, Aí!
Me belisca, mandando eu parar.

Mosquitinho elétrico engraçado,
Dá seta para todos os lados,
Mas não sabe para onde vai entrar.
E eu só fico observando e rindo à toa sem parar.

São coisas do verão, que só quem tem percepção, pode observar.
A criação e a criatura, coisas de nossa cultura,
Que não se pode relevar.
Aves que nascem na Primavera, mas é no verão que elas vem desabrochar.
Os insetos aproveitam o verão para se proliferar.
Pernilongo doidinho, já vem de canudinho prontinho para me chupar.   

Eu e meu amor aproveitamos o calor só para namorar.
Deitados na rede.
Não tem fome nem tem sede,
Que faça a gente se levantar.
Aqui não tem Internet nem telefone,
E o meu sobre-nome é ...eu quero te amar.Aí!

terça-feira, 27 de janeiro de 2015


O meu amor está com uma flor no cabelo, 
também com tantos pelos, quero ver ela se derrubar.
Eu também vou me enrolar nos teus cabelos,
para você nunca me deixar.

 Mas já tenho medo que você crescendo
queira logo namorar.
Vou perder os teus cachinhos dourados,
aonde eu vou me enrolar?

Pai coloca os filhos no mundo,
Mas o mundo logo quer lhe roubar.
Ás vezes choro por minha menina, um choro calado.
Pensando em seu futuro e o que o destino tem lhe reservado.

                                                                                           Chico Gouveia

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015


Cupido


Cupido ou cuspido! Cupida ou cuspida!
Fostes mandado pela mãe dela. A sogra!
A tua flecha estava envenenada, tenho certeza.
Não era amor! Era dormência.

A filha entrou na minha vida, a sogra que trouxe as malas.
Também entrou... e ficou.
Para a sogra sou objeto de retórica: Calado!
E Eu fico. Até a filha fica. 
Mas estamos conspirando fugir de casa depois de casados.

E assim fizemos. Deixemos o carro para o lado de fora.
Nele colocamos alguns pertences, roupas...
Fugimos na alta madrugada, na hora que tudo se cala.
Mas a miserável da velha veio junto. Escondida no porta-malas.

                                                  Chico Gouveia

domingo, 25 de janeiro de 2015


Meu primeiro amor

Hoje estou feliz, ontem falei com ela, 
Mas ela quase nem me deixou falar.
Me trouxe um lanche de pão com mortadela,
E um suco de maracujá.

Ela falou tanto, até pelos cotovelos, 
Se fosse fazer um novelo não dava para enrolar.
Falou de coisas do arco da velha.
Que a velha nem pôde se lembrar.

Sentamos à sobra de uma palmeira,
para a cabeça não esquentar. 
O sol estava tão quente,
Que fez pipocas das sementes de maracujá.

Ela falou tanto que meu ouvido doeu,
Falou de tudo, e nada se esqueceu.
Eu para disfarçar vi uns urubus rodeando,
Disse a ela: Vamos ver o que há?

Ela me disse: Deve ser carniça, eu que não vou lá!
Umas da vacas de papai sumiu, ninguém consegue encontrar.
Eu disse a ela: Pois pronto, os urubus já encontram,
Corra! vá a teu pai avisar.

Olhando nos meus olhos ela me disse: Quero te namorar.
Passou o braço em volta do meu pescoço.
Me deu um beijo na boca meio atrapalhado,
um beijo todo babado, espumado.
Tipo cachorro raivoso, mas foi gostoso.

Ela me disse: No próximo vou melhorar,
foi meu primeiro beijo. Eu disse: pare de contar.
Meu agarrei a ela foi tanto beijo com gosto de mortadela.
Hoje quando me lembro dela; Dá vontade de lanchar.


                               Chico Gouveia


* Minha amigas, nada ver, isso só foi inspiração e fome no momento que escrevia.

sábado, 24 de janeiro de 2015



Moça ardida igual pimenta, quem é que te aguenta,
perto de ti ficar.
Fala mais que locutor de futebol, reclama de tudo
até do tamanho sol.
Nada está bom para tua vida, logo logo tua língua
tem uma ferida de tanto reclamar.
Mas eu acho que o teu problema é, não ter ninguém para amar.

Mas o defeito é teu,  fale menos e cuide da beleza que Deus lhe deu.
Tu é bonita e ainda não se descobriu,
descanse  essa  sua língua e faça silêncio.
Vai aparecer a beleza que ainda ninguém viu.

                                              Chico  Gouveia 

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015



Nem todos os caminhos te levam para Jerusalém.
Peguei o bonde errado fui parar em Belém.
Tentei me informar com pronúncia errada,
Um grupo de barbudos me encostou em um muro pra me dar umas pedradas.
Levantei as mãos e gritei: Sou Paulistano, sou Brasileiro !
Me soltaram na hora e até me deram dinheiro.
Não entendi direito mas me chamaram de maloqueiro.

Me colocaram em um avião, e me mandaram ao estrangeiro.
Vestido de para-quedas subi ao céu, num boeing que parecia uma betoneira.
Medo de morrer meu coração se espremia, Tremedeira.
Uma aeromoça, uma bela menina,
meu deu um pedaço de pão seco e um chá com gosto de naftalina.
Depois de muitas horas gritaram: Chegou seu destino Brasileiro!
Abriram a porta do avião e num empurrão, me colocam de céu abaixo,
Ainda gritaram: puxa a cordinha. Eu puxei de supetão.
Caí na Cidade de Pinheiros ( ES).  Bem cima de uma plantação... de Mamão.
Ainda tive sair correndo, porque gritaram: Pega o ladrão!

                                                      Chico Gouveia







quinta-feira, 22 de janeiro de 2015


"Amor"

Hoje eu estava na janela do quarto observando as minhas plantas,
Quando no muro um pardalzinho fêmea pousou no muro.
Pouco depois um pardalzinho macho, se conhece porque o macho tem mais cores.
A fêmea balançou as asas como convidasse o macho.
Ele veio e copulou com ela 14 vezes, subindo e descendo de cima dela.
Em menos de 1 minuto.
Depois ela se balançou e foi embora.
Ele ficou  como se estivesse tonto, para ali por mais de 4 minutos.
Recuperou as forças também foi embora.

O Amor é eterno, o sexo é efêmero, passageiro.
O sexo pode até ser prejudicial, como no caso do pardal,
Quem me garante que vão se ver novamente.
O Brasil tem um número fantástico de mães solteiras
em relação a China que tem bilhões de habitantes.
Por trás de uma mãe solteira, sempre tem um drama social e familiar.

As nossas relação deveriam ser motivadas por amor.
Amar ás vezes é difícil devido ao caráter, tanto nosso como do outro.
Até para amar no mundo de hoje devemos nos preparar.
O mundo de hoje é egoísta, predador e separatista.
O homem e a mulher estão se distanciando um do outro.
O amor agora é só um flerte, e às vezes prejudicial.

                                                   Chico Gouveia

VINDE A MIM, TODOS OS QUE ESTAIS CANSADOS E OPRIMIDOS
E EU VOS ALIVIAREI.
                                                        João 11:28

Eu não tenho muitos recursos didático a minha disposição.
Mas tenho um bom e antigo dicionário da Língua Portuguesa, amigo inseparável.
Meu Português é terrível, só não é pior por causa dele. Amigaço!
Jesus, disse entre outras coisas que também era nosso Amigo.
E eu procurei saber do meu velho dicionário: O que é realmente ser amigo ou que é amigo?
Pela suas páginas ele me respondeu: Amigo é o que te ama, o que te estima,
o que te aprecia e é teu aliado.
Se é assim, eu disse ao velho dicionario: Porque não disseste Jesus Cristo!
Se o dicionário tivesse lábios com certeza teria sorrido e dito sim.
Encontrar um amigo, Que te Ame, Que te estime, Que te aprecie, Seja um aliado
e morra por ti, só poderia ser um ser divino: Cristo.
Um amigo que não olha para suas deficiências, falhas ou erros e esta sempre pronto
a te ajudar.

Você não tem um amigo assim? Jesus quer ser seu amigo. Aceite. 

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015


A luz do te olhar me ilumina.
És um sol em minha vida. Menina.
Você  é a realização de um sonho.
Sonho meu, sonho meu. Menina.

Como eu gostaria que não crescesse,
ficasse a poucos palmos do chão.
Encantando o meu coração. Menina.
Meu poema de paixão.

Nunca se esqueça de mim. Mesmo que eu chegue a um fim.
Não deixe de me amar, minha menininha.
Aonde eu estiver nunca lhe deixarei sozinha.
Meu amor é eterno. Menina.
Mas você cresceu...

                                     Chico Gouveia  

Para minha filha e as minhas netas  (todas)

terça-feira, 20 de janeiro de 2015


Como eu gostaria de conhecê-la pessoalmente.
De perto, ver o brilho dos teu olhos,
E o branco dos teus dentes.

Ver estes teus lábios sedutores, úmidos desejosos de um beijo,
Sentir o calor do teu corpo num longo abraço,
O pulsar do teu coração, sentir todos os desejos.

Passar horas contigo segurando a tua mão,
Repousá-las em meu coração,
Falar-mos de tudo, de tudo belo e de toda paixão.

Como eu gostaria de conhecê-la pessoalmente,
Estar perto de ti finalmente,
Seria um grande prazer... um presente.

                                                                         Chico Gouveia 

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015



Por onde andas minha amiga, minha amante, minha rainha.
Porque estás tão distante?
Em qual castelo tua nobreza te escondeu?
A vaidade da corte, a realeza te subiu a cabeça?
Esqueceste deste deste pobre e humilde camponês,
que ia mendigar a tua beleza uma vez por mês.

Olhando de longe com toda sutileza, teu sorriso de princesa.
Nobres fidalgos, príncipes e até reis,
Talvez! não tenha o desejo que tenho por ti, tenha certeza.
Ao longe, te observo, na sacada de tua janela.
Minha rainha! Como és bela!

Igual ao conto de fadas, serei um  príncipe até a meia noite.
A terei em meu braços numa dança magistral.
Aplacarei meus desejos afinal.
Só tem um problema: Será que vão deixar um plebeu nesta festa Real?

                                                                  Chico Gouveia


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015


Minha Amiga

Minha amiga, que saudade intensa de você.
É como se fosse uma nuvem negra imensa,
tapando a minha visão para não te ver.

O meu peito dói, olhos lacrimejam
Nada em mim funcionam direito, a não ser a dor no peito
e a vontade de te ver.

A saudade é uma doença, que nos faz definhar,
É a mesma dor da solidão,
De que não tem seu par para amar.

A vida tem esses contratempos neste mundo moderno,
As pessoas trocam as amizades, como os doutores trocam de ternos.
Uns vão outros vem, muitos ficam esquecidos.

Mas na minha amizade que ficou distante,
não te esqueço, e ser esquecido não mereço.
Amizade também é sintoma as vezes de muito amor.
Com tanta coisa ruim acontecendo neste mundo,
Eu temo: Que tenha sido abduzida por um disco voador.

                                            Chico Gouveia

 Para: A Rose e a  Marga e aos esquecidos e esquecidas nesta vida, curta mesquinha e pequena.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015



Havia uma moça que passava defronte a minha casa.
Eu a via, do outro lado da rua.
Ela tinha um defeito na perna que a fazia mancar.
O seu rosto tinha uma suavidade, uma beleza que me encantava.
E eu ficava com vontade de atravessar a rua e dizer-lhe:
Eu acho você muito bonita!".
E voltar correndo para dentro de casa. Nunca tive coragem.
Tive medo de que ela me considerasse um velho desrespeitoso,
dando-lhe uma cantada.
E eu fico a me perguntar: Por que é tão difícil dizer aos outros o quanto gostamos deles.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015



DECLARAÇÃO

Meu amor.
Teus olhos me fascinam.
É a luz que ilumina  o meu viver.
És meu Deus, a minha Estrela a razão da minha vida acontecer.

Os meus primeiro pensamentos, meu plano do dia,
A fonte da vida o meu amanhecer.
Contigo ando o dia todo, sem você não posso viver.

Curastes a minha alma ferida, deste outro sentido a minha vida,
Ofereceste também o teu amor, na tua breve partida,
Me ensinastes a amar e prometeu logo voltar.

                                     Chico Gouveia

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015


Ainda te espero com teu sorriso de criança. Meu amor.
Não perco a esperança. Te esperarei por quanto tempo necessário for.
Meu coração te escolheu, teu amor tem que ser meu.

Meus olhos quando te viram, a felicidade nasceu em mim.
Minha tristeza logo teve um fim.
Um amor acendeu uma chama em mim, que jamais se apagará,
Venha minha flor eu estou a te esperar.

Vem! quero viver ao teu lado,  esta vida desfrutar.
Nosso amor nunca será um pecado.
Tenho certeza, Deus vai nos abençoar.
Vem meu amor, estou a te esperar.

                                           Chico Gouveia



domingo, 11 de janeiro de 2015


Meu melhor amigo não sabe falar.
Mas está sempre comigo.
Me acompanha a todo e qualquer lugar.
Esta sempre alegre, parece  estar sempre sorrindo.
E isso só me faz alegrar.
Ele nunca reclamou de nada,
Mesmo que na churrascada... ele fique em último lugar.

   Chico Gouveia

terça-feira, 6 de janeiro de 2015


Comigo. Você ficou mais gelada como um pinguim.
Não fala mais comigo, nem olha para mim.
Tornou a minha vida um Polo Norte,
Porque você ficou gelada assim?

Que faço para quebrar esse gelo?
Já fiz careta, misuras e contei piadas.
Fingi que cai, para ver você dar gargalhadas.
E Nada!

A minha netinha ficou com raiva de mim, 
já lhe prometi de tudo de brinquedos a bonecas,
até ofereci o meu pudim.
Ela continua de cara feia...
OH! menina ruim!

                                          Chico Gouveia

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015


Canta com os encantos da tua voz,
Cante uma cantiga antiga só para nós.
Fale sobre os momentos perdidos e do tempo que não voltam mais.

Cante sobre os beijos que não demos, cante os abraços desejados,
Cante sobre os nossos desejos.
Se não quiser cantar, me abrace e dê-me alguns beijos.
Esqueçamos os momentos perdidos.
Que os nossos lábios emudeçam as nossas vozes.
Que os nossos corações que cantem!

                                Chico Gouveia

domingo, 4 de janeiro de 2015


ELA

Ela somente ela que me faz tão bem,
De roupa amarela, elegância que ninguém tem.
Seus olhos me convidam para alegria... todo dia.

Que felicidade são as minha horas sentado na calçada,
Esperando essa beleza passar.
Ela não anda, desfila, meu coração balança com o balaço do seu corpo.
Morto. Morto eu me sinto morto de paixão.
Se ela pedisse eu dava o meu coração.

Ela passa desfilando como a passarela fosse as estrelas,
Todo dia a mesma hora, senhora dos meus desejos.
Nunca, nenhum beijo dela terei,
Sou apenas uma estátua na praça, sentado em um pedestal,
Mas gostaria de ser a estátua de um rei.
Ela olharia para mim; Eu sei.

                                       Chico Gouveia

sábado, 3 de janeiro de 2015


O nosso amor começou na mais tenra idade,
Em um passeio nos bondes da cidade.
Os meus olhos de menino inocente sem saber
o que acontecia me ligou a você.

Nunca te esqueci depois daquele dia,
Era só pensar em você, ai meu Deus, eu me enchia de alegria.
Tinha a tua imagem guardada na lembrança.
Resolvi te procurar, deixei de ser criança.

Que emoção foi te rever depois de tantos anos,
E você dizer que também nunca conseguiu me esquecer.
Um amor verdadeiro nunca pode morrer.
E Eu sempre vivi para você.

Nos casamos, formamos família e netos,
Sempre fomos felizes em todos os momentos.
Quando perguntam qual é o segredo da nossa convivência dizemos:
"O verdadeiro amor nunca  morre,
Aconteça o que acontecer".

                                                                   Chico Gouveia

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015


O meu amor tem um jeito manso que só seu,
E me deixa louco, quando me beija a boca, 
Minha pele toda fica arrepiada.
Me beija com calma em fundo até a minha alma se sentir beijada.

O meu amor tem um jeito manso que é só seu,
que rouba meus sentidos deflora meus ouvidos
com tantos segredos lindos e indecentes.
Depois brinca comigo, ri do meu umbigo
e me crava os dentes.

Eu sou o seu rapaz ela é a minha menina,
Meu corpo é testemunha do bem que ela me faz.
Meu amor tem um jeito manso que é só seu.
Me deixa maluco quando me toca de leve a nuca,
Com os bicos do seios quando,ela se aproveita.
E de pousar as coxas entre as minhas coxas,
quando ela se deita.
Deslisa a mão no meu corpo me deixando em brasas.
Desfrutando como meu corpo fosse a sua casa.


Adaptação da obra de Chico Buarque.

                                                   Chico Gouveia

Dança, dança, rodopia encanta.
Faça da nossa cama um palco com a leveza do teu salto.
Salta, salta empina esse teu corpo de menina,
Este é o teu ato principal bailarina.
De sermos felizes imaginando a vida como peça de teatro,
onde tudo acaba bem, em meio a fantasia.

                               Chico Gouveia