Translate

sábado, 31 de janeiro de 2015


No banquete do Gusanos seremos o prato principal.
Não haverá talheres de prata, guardanapos ou taça de cristal.
Viemos do pó e ao pó voltaremos novamente,
Antes seremos carniça a repulsa dos viventes.

A morte é uma cela de onde não podemos escapar.
Todos os micros organismo irão nos devorar,
Cada um escolherá um pedaço da anatomia que lhe apraz,
De cima, do lado, de baixo ou atrás.
Mas com certeza a língua será sobre mesa,
Da carniça foi o membro que pecou mais.

Para debaixo da terra também vai,
todo poder, glórias, riquezas e a cruel tirania,
O orgulho, a vaidade e a mundana sabedoria.
Quem é abraçado pela morte da cova não sai.
- Só se Jesus  vier lhe buscar um dia.

Toda miséria, doença e toda fome,
Toda mulher e todo homem,
Toda vida que há neste mundo.
Podem viver por anos, mas morrem num segundo.

Por tudo que lutou, venceu ou conquistou,
Roubou ou massacrou, foi em vão, 
na morte não se leva nada...não.

O que é do mundo, na morte teus pertences daqui não sai,
Por isso não existe gaveta em caixão,
Na morte, não se faz a mudança em caminhão.
Contra a morte nos temos está liça,
Quando morremos; Não podemos nem levar a própria carniça.

                                           Chico Gouveia



Nenhum comentário:

Postar um comentário