Translate

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014



Feliz Ano Velho!
Do Ano Novo eu não sei.
A felicidade do futuro se planta no passado.
Se plantei? Eu não sei.

Tentar me agradar, eu tentei.
Se agradei os outros? Eu não sei.
Algumas coisas que aqui escrevi, escrevi rindo.
Em outras... eu chorei.

Feliz ano velho, só você sabe.
Julgar a vida alheia a ninguém cabe.
Anos, datas são ilusões,
Os dias da vida são os mesmos dentro de nossos corações.

Feliz Ano Novo! Naturalmente é uma válvula de escape.
É só um desejo de querer se feliz.
Um desejo que estendemos a todos.
Ser feliz isso também sempre quis.


UM FELIZ  E PRÓSPERO ANO NOVO CHEIO DE FELICIDADES!


"Comece a plantar a Felicidade hoje; Para que ela seja uma árvore
frondosa e que dê muitos frutos. No Feliz Ano Novo.

                                                                               Chico Gouveia

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014


O amor não é um dom.
É a expressão máxima do caráter.
O lado bom do ser humano.
 São Paulo  escreveu: " Se eu não tiver amor nada sou". 

Portanto o homem sem amor nada é,
A família sem amor não existe.
Deus é amor, onde existe amor, ali também estará Deus.
E onde está Deus, há salvação por meio do Senhor Jesus Cristo.

Portanto o amor é um exercício diário contínuo igual a respiração.
Quando o homem deixa de amar perde o seu caráter,
a sua identidade e a sua essência divina.
Passa ser mais barro que o Espírito de vida que Deus lhe deu.
A natureza do amor perde-se dentro de si.
E o mesmo acontece com a família, que morre sufocada
pelo espírito maligno do mundo.

                                       Chico Gouveia

terça-feira, 23 de dezembro de 2014


Ela vinha para mim toda vestida de branco,
Sorriso nos lábios se dizia uma santa,
Flutuava no ar quando andava,
Uma perna mais curta que a outra, era manca.

Se oferecia  para mim com toda sinceridade,
Em troca do meu amor ela daria  a  sua virgindade.
Mal sabia ela que eu conhecia sua fama  em toda cidade,
Era dama de má companhia e oferecer seu corpo era a sua felicidade.

Em poucas palavras se conhecia a sua ingenuidade,
A sua inocência era de se tirar proveito,
Todos tiravam, a desnudavam a começar pelos peitos.
Ela me achou também por outro inocente,
E queria levar a sua vida para um lado diferente. Eu.

Cansada da vida que levava me escolheu,
Contou-me todos seus segredos, nada escondeu.
Por isso vinha para mim toda vestida de branco.
Sorriso nos lábios se dizia uma santa.
Flutuava no ar quando andava,
Uma perna mais curta que a outra, era manca.
Mas era sincera... e dizia que me amava.

                                                        Chico Gouveia

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014



Felicidade foi se embora e a saudade no meu peito ainda mora,
É por isso que eu gosto lá de fora, 
Por que sei que a falsidade não vigora.

A minha casa fica lá no fim do mundo,
Que eu vou em um segundo quando começo a pensar,
O pensamento parece coisa à toa, mas como é que a gente voa,
Quando começa a pensar.

A gente pensa no presente e no ausente. Ai começa a sonhar,
A imaginação alegra a gente quando pensa que o amor perdido vai voltar.
Ficamos olhando para o caminho,
Sozinho com seus pensamentos, só a saudade vem te encontrar.

Lupicínio Rodrigues/ Chico Gouveia

domingo, 21 de dezembro de 2014


Felicidade... que palavra incrível!
No plural, felicidades;
quando deveria ficar grande, ela fica singular.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014


EI!

Psiu! Psiu! Ei! Continuo aqui.
Estou te esperando faz muito tempo!
Se esqueceu de mim?
Lembra marcamos um encontro aqui.
Ás oito da noite, lembra.

Já são quase meia noite e até agora você nada.
Desistiu do encontro, porque?
Nem ligou me avisando que não vinha.
Esses encontros marcados pela internet são complicados mesmo.

Vai que você passou por aqui me achou feio e caiu fora.
Mas lhe digo: Mas até agora aqui só passou canhão.
Uma mulher mais feia que outra, será que você era uma delas?
Tem umas que nem canhão não era...era a bucha dele.

Miserável! Desgraçada! Carniça!
Fez eu ficar esperando esse tempo todo.
Sua moléstia perfumada, você me paga!
Vou descobrir onde você mora, 
você vai ver do que  eu sou capaz.
Hedionda!

                                                                 Chico Gouveia

terça-feira, 16 de dezembro de 2014



Era uma vez um Deus criador de todas as coisas.
Criou o Universo, saiu criando mais coisas nele.
Em certo momento imaginou criar coisas diferentes.
Pois criava seres somente de pura energia.

Imaginou criar seres de matérias visíveis.
Num cantinho do Universo, num lugar chamado Via Láctea.
Criou um Sol e um sistema de planetas.
Um desses ele fez de barro e chamou de planeta Terra,
Colocou muita água para que o barro não secasse com o calor do Sol.
E da mistura do barro e da água fez uma lama e criou um seres.
Estes seres de barro chamou de seres Humanos.

Colocou nos humanos através do seu sopro um espírito de vida. 
Os humanos agora passaram a viver,
Foram criados a imagem e semelhança do caráter de Deus.
Deus os visitava diariamente e falava com eles: Eram seu xodó.
As criaturas mais evoluídas tinham ciumes das criaturas de barro,
Pois Deus devotava mas tempo a eles.

As criaturas angelicais se revoltaram contra o seu criador.
e fizerem também os humanos ir contra seu Criador. 
Deus tentou de muitas e várias maneiras reconciliar suas criaturas humanas
Os humanos criaturas feitas de lama; se tornaram arrogantes, orgulhosos, egoístas,
mercenários, assassinos, amantes de todas as maldades imagináveis, (calma seu Chico
você esta falando de sua raça)...O desculpe!

Não teve outro jeito.
Deus na sua infinita misericórdia e sabedoria.
Pegou todos os revoltosos  espirituais mais evoluídos,
E soltou-os no planeta Terra...
Todos juntos com o humanos, isso aqui agora virou um Inferno.
Quando  alguém reclama; Uma voz lá no distante Universo diz:
"Se vira! Dá seus pulos ai".

                                                    Chico Gouveia


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014




Lembra daquele tempo que havia flores no jardim?
Havia pássaros, um beija-flor que pousava em mim.
Lembra das rosas, dálias, cravos e jasmins.
Lembra da inocência, da nossa felicidade enfim.

Mas crescemos e a vida caminha enfrente,
Nosso mundo se tornou tão diferente.
Acabou-se a inocência a indecência fez nos rodear,
Um mundo diferente tivemos que penetrar, 
Um mundo escuro sem a magia do jardim.

Vovó que cuidava de mim partiu, Papai e Mamãe também,
Maninha você casou e me deixou,
Fiquei só nesta casa, infância de tanta alegria, vida vazia.
Lembra das flores do jardim... morreram,
Lembra do jardim...secou.
Lembra do meu sorriso, se emudeceu. 
A minha tristeza tem regado um pé de Solidão que no 
meu peito nasceu.
É lembra daquele tempo...passou.
E eu fiquei.

                                               Chico Gouveia

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014


Nasceu uma flor no jardim, uma rosa azul Bella
igual a ela nunca tinha visto assim.
Perfumada, com odores que se desprendem intensamente,
diferente que colocam imaginações na mente.
Amor, diga para mim aonde arrumou a semente,
dessa flor.
Que me encheu de anseio e desejo de você, Amor.
De onde transplantou.

Bella imagina, uma doce bailarina, pequenina corpo de menina,
A rodopiar, e ficar com o formato da rosa azul a perfumar,
Criando uma atração junto ao meu coração, apaixonar.
Teu perfume me embriaga, me faz sonhar.
Rodopia bailarina, me olha com os teus olhos de menina,
Gira, gira igual a um pião e vem aos meus braços descansar.

                                         Chico Gouveia


terça-feira, 9 de dezembro de 2014



O teu amor ainda é tudo.
Ainda fazes parte do meu mundo.
És os meu sonhos mais profundos, delírios de amor.
Minha fantasia mais bonita, a essência da minha vida.
Ainda é você.

Apesar da distância, ainda me fazes feliz.
Você continua presente ao meu olhar,
Tua voz escuto a todo instante, em tudo vejo teu semblante.
Como é cruel viver...
No nosso melhor momento de felicidade...você achou de morrer.

                                                         Chico Gouveia

sábado, 6 de dezembro de 2014


Deixa eu te amar.
Deixa eu gostar de ti.
Deixa eu te fazer feliz.
Ou me deixa.

Ninguém podem viver sem dominar seu próprio ego,
Querer que tem façam todas as vontades,
Nem mesmo um cego.
Se não souber dividir a tua vida dentro de um lar,
Faça as malas, quero alguém me ame,
Eu deixe eu também amar.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014


Adeus!...
Adeus! Que tenha boa partida,
Minha é a despedida, faz favor leva a tua vida.
Não olhe para trás e nem se lembre de mim;
Viver com você foi muito ruim.

Amar é a dois, você é muito egoísta,
Pensava só em você, gostava de me ver sofrer.
Não sabia o que era carinho, muito menos que era amor.
Espero também que sofra muito... para onde for.

                                                                             Chico Gouveia  

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014


As luzes da Cidade Luz estão apagadas,
Rua, praças e avenidas esvaziadas.
A Torre em total escuridão... não!
Não pode! O que aconteceu?

Mas tudo está normal.
Mas foram as luzes dos meu olhos que se apagaram,
No momento em que você partiu.
Tudo ficou tão escuro, a vida em mim morreu.

Mas Paris novamente vai me dar vida,
A luzes das praças, ruas e avenidas.
Vão se acender e um novo amor vai nascer
Ela espera por mim no Champs Élysées,
A garota mais " La Plus Belle" do mundo.

                                                              Chico Gouveia

terça-feira, 2 de dezembro de 2014


Eu não tenho tempo para dar o tempo ao tempo que você quer.
Eu não sou o último homem do mundo, nem você a mulher.
A paixão é passageira mas o amor é eterno se você quiser.
Eu não posso ficar só esperando seus caprichos,
Como se fosse um saco de lixo esperando  para ser retirado.

Meu amor, o meu desejo é você.
Todos os meus sonhos são teus.
Você não se decide, teu silêncio me agride.
Porque logo não diz: Não!
Machuque de uma vez o meu coração.
Vou chorar pelas dores da decepção,
Mas vou esquecê-la afinal.
Tudo neste mundo morre até a minha ilusão.

                            Chico Gouveia

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014


AS MÁS LÍNGUAS DOMÉSTICAS

Meu avô me disse,
Que minha avó falou.
Que meu pai disse,
que meu irmão falou,
Que titia também falou:
Que mamãe exclamou: Chega de disse me disse!
É tanta fofoca que parece milho  estourando pipoca!

A culpada é a minha irmã aquela magrela,
Agarrada ao namorado embaixo da sacada da janela.
E todos de olho nela.
Ai vovó falou: Deixa a menina namorar,
Ela, já esta na idade de casar, e ter filhos e a família aumentar.

Quem não entendeu!
Entendeu gravidez...
A língua da fofoca "comeu"
Ela namora, não tem nem um mês,
Que situação! 
Mas parece que já está no nono mês de gravidez. 

                                                                                 Chico Gouveia