Translate

domingo, 29 de junho de 2014


Ukalele, Ukalele toca para mim...
Uma velha canção Havaiana de amor sem fim.
Fala da imensidão de grãos de areia que moram na praia.
Da espuma branca que as ondas trazem,
Fala de lábios, de beijos e de amores.
Fala do Kilauea bravo e cuspindo fogo. 
Fala com o som de tuas cordas, conta-me histórias do Havaí.

                                               Chico Gouveia

sexta-feira, 27 de junho de 2014


Leia para mim um poema clássico chines.
Leia de uma vez sem nenhuma pontuação,
no compasso da batida do meu coração.

Escreva com realismo com um pouco de sadismo
a nossa relação.
Não deixe de fora os pormenores, aqueles que não chamam atenção.
Descreva os teus lábios úmidos percorrendo o meu corpo,
os carinhos que faço em tuas coxas,
e as marcas nos teus seios quase roxas.
Não deixe de citar nosso exemplar de Kama-Sutra,
que foi abandonado,
porque encontramos maneira melhor de nos amar.

                                                           Chico Gouveia

quarta-feira, 25 de junho de 2014


Eramos Portugueses, de além mar, viemos de Portugal.
Atravessando o Atlântico.
Vomitando, arrotando e passando mal.
Na viagem banho não tomamos,
fedíamos e coisa e tal.

Comíamos sardinhas secas e o pão do Padre,
O tal Pão de Ló.
Tudo bichado; Morder os bichinhos até dava dó.
Mulheres não havia à bordo.
Só um efeminado: Desse ninguém tinha dó.

Tempestades e Maresias,
Observávamos as nuvens e o horizonte,
Diuturnamente cuidando do convés e do velame.
Enquanto o capitão dormia aos roncos e peidos, 
Cheio de gases do excesso do consumo de salame.

Até que um dia alguém gritou:
- Terra á vista!
Uma Ilha de Areias Branca e floresta verdejante.
Todos gritaram é um Brasil, ao verem os indígenas pelados,
Muitos paus vermelhos; Na praia.

Aportamos e caímos na farra.
Voltar à Portugal nem na marra.
Aqui as xoxotas são mais limpinhas e as mulheres não tem bigode,
Cada um se vira como pode, um comércio em cada esquina,
Um prostíbulo para cada menina.

Somente Pedro Alvares e o efeminado voltaram a Portugal.
Pedro mudou de nome deixou de ser Gouveia,
Foi morar na Espanha, criar filhos, e na barriga...banha.
O efeminado mudou para Paris foi trabalhar no teatro
e fazer papel de sereia.
 Dizem que depois virou Papa,
Ninguém escapa... da língua alheia.

(DIÁRIO DE BORDO)  Chico Gouveia

terça-feira, 24 de junho de 2014


Molha a minha língua com a tua saliva,
Esfrega o teu corpo no meu  e mostra que ainda está viva.
Passeia com teus lábios sobre o meu corpo,
Sou tua presa mata-me de amor, de amor me deixe morto.

                                                Chico Gouveia

segunda-feira, 23 de junho de 2014


No rosto um sorriso, na cabeça muita malícia,
Não se precisa de palavras,
Seus carinhos ao cair da alva,
Entorpecem o meu corpo, que a ela pede calma.
Quero amar, quero amor,
Quero que o dia nunca mais acabe.
Quero estar onde ela for.
Quero a flor que ela esconde
que  disse que ia dar para mim.
Quero ser a sua segunda pele, quero ela colada em mim.

                                                      Chico Gouveia

sábado, 21 de junho de 2014


Como você se vulgariza, Menina!
És bela! Nem precisa.
Todos os olhos te cobiçam,
Só procuram o prazer, vais acabar se prostituindo.
Então vai sofrer.
Tens promessas de agências de modelo, revista e televisão,
Mas é tudo ardil para se aproveitarem,
da tua maliciosa exibição.
Como você se vulgariza menina!
Vais cair na própria tentação.

                                          Chico Gouveia

sexta-feira, 20 de junho de 2014


O nosso Amor divaga, entre uma onda e uma vaga,
no mar da mágoa.
Você já disse que me deixou.
Não brinques de amar, amar não é brinquedo.
Se for de brincadeira pode machucar o coração,
de dor eu tenho medo.
Sem compromisso eu não te quero,
Para passar o tempo, prefiro o mar e o vento,
Sou sincero.

                                        Chico Gouveia

quinta-feira, 19 de junho de 2014


Andando pela ruas do mundo, vi tristeza e miséria.
Quanta discriminação entre os semelhantes. 
Não existe cofre para se abrir depois da morte, nem gaveta no caixão.
Tanta ganância é a causa de toda destruição.
Fome, morte e inanição nada disso teríamos
se houvesse um pouco de amor no coração.
As guerras a lutas pelo poder, pelo orgulho,
O inocente sofre sem saber, o planeta esta se acabando.
Para muitos resta somente o sofrer.

                                                                     Chico Gouveia

quarta-feira, 18 de junho de 2014


A  atração foi fatal, me procure  em um hospital.
Estou internado passado mal.
O coração quase parou, a visão escureceu,
As pernas amoleceram, o diagnóstico foi enfarto.
Me levaram para uma sala de parto,
Uma terrível paixão por você nasceu.

                           Chico Gouveia
                                                                               
Louca, muito louca.
Descabelada só beija na boca.
Qualquer motivo, é motivo para tirar a roupa.
Louca muito louca.

Não quer compromisso, nem ter enguiço
com homem qualquer.
Quer ser livre como um beija-flor
Não ter  um amor,
Quer ser apenas...Mulher.

             Chico Gouveia

terça-feira, 17 de junho de 2014


Hoje eu te vi chorando não entendi porque.
Já que diz que é feliz e não conhece o sofrer.
Chora por ser feliz ou a decepção descobriu você?
Abra o seu coração para que eu possa te entender.
A maior infelicidade é sofrer calada sem nada dizer.

                                                             Chico Gouveia

domingo, 15 de junho de 2014


Acendamos uma vela no lugar daquela que se acabou,
Vamos manter uma chama acessa sobre a mesa,
iluminar a casa onde está moribundo nosso amor.
A doença dele é incurável, falta de zelo, falta de carinho.
Por não ter mais diálogo ele vai morrer sozinho
A planta quando não é regada morre
Não adianta depois de seca nada mais lhe socorre.

                                                  Chico Gouveia

sábado, 14 de junho de 2014


Entende o que ela me falou, que tudo entre nós se acabou.
Entendi que tudo não passava de ciúmes.
Sua mágoa e seus queixumes,
foram causados pela vizinha que para mim acenou.
Como explicar se ela não entende, 
se, o seu ciúmes é doentio.
O meu amor sempre vive por fio,
com ameaças diárias de deixar o meu coração vazio.
Ela é o meu amor minha paixão,
Mas se continuar assim aceito a separação.

                                                          Chico Gouveia

quarta-feira, 11 de junho de 2014


Ela me mandou um bilhete num papel de rascunho,
Era dia 12 de Junho, perguntando se eu queria namorar,
Como sendo dia dos namorados podia mandar a resposta
por escrito junto com um presente para lhe agradar.
Fiquei muito contente com a proposta, 
Pelo jeito ela gosta de outros enganar.
Respondendo que sim no mesmo papel,
Mandei de volta sem demora.
De presente um pacote de " Maria Mole".
Com os seguintes dizeres:
"Bobo se engana é com doce".

Chico Gouveia

terça-feira, 10 de junho de 2014


As rosas são dela, coloquei-as na janela,
Para fazer uma surpresa a ela.
Um bilhete dizendo que cada rosa era um beijo,
um desejo de amor.

Esperei sua reação,com um aperto no coração
Um sim, um abraço ou beijo,
O desejo de namoro, sem pudor ou decoro,
Sincero e duradouro.

Mas depois ela passou por mim, 
Nem disse sim ou não,
Me ignorou. As minhas rosas só serviram
Para o velório da minha paixão.

                                                 Chico Gouveia

segunda-feira, 9 de junho de 2014


A minha namorada, tem o brilho das estrelas no olhar.
Tem, o fulgor da Via Láctea nos lábios, ao me beijar.
No corpo, o calor do Sol ao me abraçar.

Mas ela é só a minha namorada,
Que vivo a desejar.
Quero seu amor para sempre,
Se ela me desejar.

Sua voz e tão doce, 
A meiguice que trouxe a seus pés.
Coloquei-me como oferenda,
Para seus carinhos estou à venda.
Ela me compra se quiser.

Mas ela é só minha namorada,
Que vivo a desejar,
Quero seu amor para sempre,
Se ela me desejar.

                                                       Chico Gouveia

domingo, 8 de junho de 2014


Se, vais embora vai porque queres.
Neste mundo existem. outras mulheres.
Talvez melhores que você, que possa me compreender.

Não era ciúmes doentio, é amor além do limite.
Uma paixão tão forte, que sobre-ponhe até a morte.
Um sentimento inexplicável de amor,
um calor abrasador um desejo intenso de você.

Vai... Eu sei que vou sofrer, até te esquecer.
A saudade vai me machucar,meu coração vai me bater.
A solidão vai me corroer, mas de uma coisa tenho certeza.
Também vou fazer falta para você.

                                   Chico Gouveia.
  

sábado, 7 de junho de 2014


Tua beleza clama.
Teu corpo reclama, uma maior aproximação.
Teus olhos brilham, iguais a um farol de uma ilha,
Chamando a  atenção.
Atraindo meu coração, uma paixão, um amor.
Tu és divina e graciosa,
Tu és divina e graciosa, joia preciosa.
Mulher!

                                                                Chico Gouveia

sexta-feira, 6 de junho de 2014


Alguns anjos caíram do céu. Na velocidade de um raio.
Pareciam estrelas cadentes. Mas eram anjos.
Não caíram, foram expulsos de lá.
São revoltosos, contra a autoridade de Deus.
Terríveis, perniciosos e malignos.
Tem rosto de anjo, aparência de anjo, mas não são.
Cuidado! São demônios.
Se disfarçam de homens ou mulheres.
Vagueiam em nosso meio, todos mal intencionados.
A primeira vista parecem bons, até que o inocente seja enganado.
Dizem que alguns são, Presidentes, Ditadores, Senadores e Deputados.
Ocupam lugares de poder entre a raça humana.
Está tudo por eles controlado.

                                                                                     Chico Gouveia

quinta-feira, 5 de junho de 2014


Fim de tarde. Seca e morna a brisa.
Mas o céu se abre, manda o que se precisa.
Chuva fria e fina.
Molha o chão  sedento, seu som se torna um acalanto,
Que embala com prantos o inicio da noite.
Nos teus braços me refugiarei sonolento.
Ouvindo o barulho da chuva e as chicoteadas do vento.

                                     Chico Gouveia


Ainda tenho teu retrato na parede, continua sem moldura.
A vida para mim continua ruim, dura.
Tenho muitas saudades de você, será que sentes de mim?
Como um sonho tão lindo pode chegar ao fim?

Ás vezes me pego conversando com você,sorrindo.
Então eu choro, meus olhos te procurando não te vê.
Como é triste viver, sem ter quem se ama ao seu lado.
Me sinto culpado pela infelicidade por não tê-la mais,
O nefasto ato do destino , sem explicação,
Te levou para magoar meu coração.
Sem razão, fora de minha compreensão.

                                    Chico Gouveia

quarta-feira, 4 de junho de 2014


Não cante uma cantiga triste.
Nem chores por um mal que não existe.
Na casa da Felicidade só serve-se alegria.
É o prato principal todos os dias.

Deixa eu montar na tua garupa,
E, você sai pulando enquanto eu grito; Upa! Upa!
Faz cara de carranca, tenta me derrubar de tuas ancas.
Grita como um doida, se finge de maluca.
Balança o corpo como um bambolê, me esfrega a nuca.
Diga para mim devagarzinho:
Faça comigo o que quiser, mas não deixe de fazer.

Não cante uma cantiga triste.
Nem chores por um mal que não existe.
Na casa da Felicidade só serve-se alegria
E você faz parte deste dia a dia.

                                                                      Chico Gouveia

terça-feira, 3 de junho de 2014


Quando um dia, a Alquimia transformar,
aquela Rosa vermelha  em uma pedra de Rubi.
Eu vou pedir, que também faça das Margaridas brancas,
 Pérolas no meu jardim.
São flores, são jóias, plantadas pela natureza, para encher nossos olhos
com a beleza.
Eu vou fazer do meu coração um vaso, um vaso profundo.
Nele plantar todas as flores do mundo,
Tê-las todas perto de mim.
Todas as cores, perfumes, formatos, mil-amores
Assim a minha felicidade não terá mais fim.
Quando um dia a Alquimia se lembrar de mim.

                                                            Chico Gouveia

segunda-feira, 2 de junho de 2014


Minha flor de cerejeira, não és a última nem primeira.
És aquela que chegou e ficou no meu céu como uma estrela.
Um Sol que me ilumina, uma doce menina, uma fonte que jorra paixão.
Sou uma pequena onda no mar dos teus braços,
És uma artéria do meu coração.

                                                          Chico Gouveia

Nunca mais quero dizer que um dia, te amei.
Nem quero pensar, que com a felicidade contigo sonhei.
Se engano matasse eu já tinha morrido,
A ferida da desilusão haveria me consumido.

A traição para alguns é talento, fingir também é um dom.
Não se importam se causam sofrimento.
Usam as pessoas como se fossem sapatos,
Estão sempre trocando por novos modelos,
Encostando de lado antigo e perdendo o zelo.
Mesmo sem ter gasto o solado.

Nunca mais quero dizer que um dia te amei.
Nem pensar que com a felicidade contigo sonhei.
Quem se empolga com a beleza, como eu fiz,
Não vi o orgulho e a vaidade que dominavam o teu coração.
Me iludindo em ser feliz,
Sofrendo, descobri que eras vendedora de ilusão.

                                                                 Chico Gouveia

domingo, 1 de junho de 2014


Uma cerca construída em torno de si,
prende a  atenção de um jeito como nunca vi.
Os afazeres são esquecidos, compromissos cancelados, 
Alguns cercados esquecem até da mulher ou vice e versa, 
Pelo mundo a fora diálogo, dentro de casa pouca conversa.
De olho na tela, Internet é a cerca que muitos são presos por ela.
Se transformou num vício uma doença,
outros dizem que é a nova religião, uma nova crença.
Globalizou as raças, como um vírus espalhou todas as mazelas,
modismos e defeitos.
Na verdade a Internet é a arma do novo mercantilismo imperfeito.
Predador de todos os nossos direitos.

                                      Chico Gouveia

Fácil! Foi muito fácil.
A ferida foi profunda, no âmago.
Uma única apunhalada nas costas, rápida e certeira.
Não deu nem para sentir ou gemer.
Matou o nosso amor a traição.
Ele estrebuchou fechou os olhos sem entender 
o que aconteceu...morreu.
Eu vesti luto...Ela vestiu a roupa de domingo e caiu no mundo.
-Ah! a cicatriz está estampada em meu rosto.

                                                                                 Chico Gouveia