Translate

quarta-feira, 11 de março de 2015


No balaio tem um gato, na lagoa tem um sapo.
Lá no mato tem um rato, e na tua boca tem um beijo,
que eu morro de desejo, pelo teu abraço,
por teu amasso.

Naquela cidade tem uma vila,
Naquela vila tem um fábrica de fazer tecido,
Tecelagem de pano franzido que te fez um vestido,
feito por encomenda para não colocar à venda. 
Foi eu que mandei.

Para ter o prazer de dizer: Foi eu que tirei do corpo dela,
Para isso passei uma sacada, pulei uma janela:
E amei!.
Amei, como nunca tinha amado, fiz do corpo dela
a minha alma gêmea colada a dela.

Lá no balaio tem um corpo, molhado semi-morto.
Lá no mato tem uma flor que eu dei
para ganhar mais um beijo de amor.

                             Chico Gouveia.


terça-feira, 10 de março de 2015


APENAS UMA CABEÇA

Era apenas uma cabeça, em um corpo cheios de sonhos.
Todos desejos do mundo, toda felicidade.
Toda paz, toda busca em Cristo.
Todo ideal cristão. Era apenas uma cabeça.

No lugar errado. Na terra do reino do diabo.
Onde a bondade, amor, paz e compreensão não tem lugar.
Um canto do mundo onde mora a abominação.
Onde mora o ódio, olhe lá,  Alá na mira do canhão.

Era apena uma cabeça, cheia de sonhos e paz,
 cheia de bondade de amor ao próximo.
Em um corpo que caminhou para morte levando seu ideal.
A salvação.

segunda-feira, 9 de março de 2015



Não sei quando um coração em chamas,
A todos desejos se inflama.
Um beijo teu... na cama.

Não sei se um corpo envolto de atração,
Queima como um vulcão...sedução.
Um beijo morre sufocado pela paixão.

Sou um peregrino, um menino ou um beduíno Tuaregue,
a vagar pelas rotas de teu corpo,
De sede quase morto, junto ao oásis dos teus lábios.
Amor! 

domingo, 8 de março de 2015


Desnuda a tua dama, leva para cama e faça ela sonhar
Que ela tenha também pesadelos de tanto amar.
Desnuda a tua dama e a leva à beira-mar.
Deixe as ondas na praia fazer carícias na suas intimidades.
Que ela seja a tua sereia a suspirar.

Desnuda tua dama com o olhar 
faça carinhos nela com os teus lábios, não pare de beijar.
Não pare um só momento, deixe as tuas mãos passear no corpo dela
Se ela pedir use a língua no lóbulo da orelha freneticamente,
Beije os lábios lentamente, até saliva doce e quente...esfriar.

Chico Gouveia

quinta-feira, 5 de março de 2015


A Rosa que é rosa azul


A minha rosa não é vermelha, nem branca muito menos amarela.
A minha Rosa e mais que bonita é linda.
A minha rosa é da cor dos olhos dela.

Tenho Ela plantada no vaso do meu coração,
Rego ela diariamente com os sonhos da minha paixão.
Floresce, floresce minha Rosa, enquanto o meu amor cresce.

A minha rosa é azul da cor do infinito céu.
A minha Rosa é tudo para mim, minha cobertura meu véu.
Ela me cobre com os seus desejos secretos e muito carinhos.

Nunca irei ficar sozinho.
Mesmo preso as suas pétalas ou a seus espinhos.
A minha Rosa é um presente do céu.

                                                   Chico Gouveia

                      



terça-feira, 3 de março de 2015


Trocadilho.

Um dia desses verão a Vera, que era a Primavera
do meu olhar.
Um dia desses virá o Verão antes da Primavera chegar.
Um dia desses verão lágrimas nos meus olhos,
porque não vi a Vera passar.

Ela era a alegria do meu jardim, floriu e não sorriu
para mim.
Quando desabrochou, olhou-me nos olhos e confessou:
Que não gostava mais de mim.
O inverno no inferno, meu coração congelou,
nunca esperei aquilo que a Vera me confessou.
Com a minha Primavera, Vera terminou. 

                                                                     Chico Gouveia

segunda-feira, 2 de março de 2015


Deus criou o homem à sua imagem,
Sua imagem, imagem de beleza e graça.
O homem criou o preconceito para sua própria desgraça.
A essência da falta de amor.
Preconceito da cor, preconceito social.
O homem não ama o que Deus ama, o homem não é igual.
Deus vive no céu o homem na terra. 
Deus é perfeito o homem sempre erra.
Preconceito ao divino entendimento,
 deixando a verdade de lado.
Agarrando-se as mentiras do diabo.

                                                      Chico Gouveia